Plano de culturas: preparar a Horta para a próxima época

Kenneth Malone

Rooftop Evangelist

Não podemos quantificar ao certo o número de tipos de legumes que existem no mundo. Porém, podemos afirmar que são muitos e que estão na ordem dos milhares — estima-se que existam mais de 20 mil espécies de plantas comestíveis, sendo que apenas 20 delas representam 90% das que comemos.

 

É irrisória a quantidade de vegetais que consumimos, face à que existe.

 

O que fazer? Em primeiro lugar, precisamos de respeitar os critérios da sazonalidade; depois, preferir sempre aquilo que é produzido localmente — estas duas características tendem a ir ao encontro de uma exploração consciente e que respeita os ritmos do ambiente. Por último, mas não menos importante, precisamos de diversificar. E isto implica variar entre as escolhas que conhecemos, mas também ir em busca de novas opções. Damos-lhe uma ajuda. Conheça estas 10 famílias onde vai encontrar vários tipos de legumes.

Inúmeras cores e sabores por explorar

Cada categoria, ou família botânica, incluí diferentes géneros que agrupam um conjunto de espécies por partilharem bastantes características. No entanto, nestas espécies podemos identificar diferentes variedades, o que influencia muitas cores e sabores dos tipos de legumes. Uma mesma família pode ser centenas de géneros e milhares de espécies, mas vamos manter o nosso foco na Horta e partilhar consigo as famílias que deve conhecer.

 

 

1. Allioideae, os tipos de legumes para dar sabor à comida.

Composta por 795 espécies que se organizam em 20 géneros diferentes esta é uma subfamília de plantas da ordem Asparagales, o grupo que incluí os espargos e as cebolas. Como nas famílias de verdade, estas também mudam de nome e esta incluí as aliáceas, que faziam parte das liliaceae. Mas troquemos tudo isto por miúdos e foquemos no facto de que esta família se distingue pelo odor já que incluí as cebolas, o alho, alho francês, a chalota e cebolinha-comum.

Qual o Kit Horta em Casa ideal para mim?
Saiba mais Saiba mais

 

2. Apiáceas, o tipo de legumes para dar cheiro à comida

Esta família, com cerca de 300 géneros, incluí plantas aquáticas, rupícolas ou terrícolas. São geralmente ervas aromáticas, com flores pequenas e, muito embora esta família contenha algumas espécies tóxicas, estão entre os seus membros mais conhecidas as cenouras, o funcho, aipo, salsa, cominhos e anis.

 

 

3. Rosáceas, a família de onde nascem as frutas que adoramos

Esta família tem 4 828 espécies, repartidas por 91 géneros, sendo muito diversa a forma como se apresentam: desde árvores, a arbustos ou herbáceas. É neste grupo que se incluem muitas frutas, com e sem caroço, como os morangos, marmelos, as maçãs, peras, amêndoas e framboesas.

 

4. Asteriáceas, para as saladas mais comuns

Esta família tem 535 géneros e, pasme-se, 23 000 espécies que podem ser ervas, arbustos ou árvores. É aqui que se incluem alimentos cultivados tão conhecidos como a alface, a chicória ou a alcachofra.

 

5. Solanácea, uma familía muito diversa

Esta família, incluí plantas de forma, morfologia e ecologia muito diferente incluindo arbustos, subarbustos, ervas, árvores e trepadeiras, sendo que várias espécies são caracterizadas por terem tubérculos subterrâneos. A lista é extensa e diversa, mas para referir apenas os mais conhecidos, conta com a batata, o tomate, pimento, a beringela ou as bagas goji, por exemplo.

 

6. Brassicáceas, para uma sopa de agrião

Na origem do nome desta família está o nome da espécie mais associada a ela, o género Brassica, que é como quem diz, couves. No entanto, esta família tem mais de 300 géneros com mais de 3000 espécies. Maioritariamente plantas herbáceas anuais — existem, no entanto, mas em menor quantidade, algumas bienais ou perenes. As couves, os nabos, rabanetes, agrião da horta ou rúcula fazem parte da família.

Workshop

From the vegetable garden to the dish

Porto, 24th February at 10am

Buy Buy
Florence Rolando

Naturopath & Kinesiologist

7. Quenopodiáceas, porque os espinafres fazem bem

Nesta família entram tipos de legumes caracterizados pelas raízes, bolbos, tubérculos, sem esquecer os frutos. Exemplos: espinafre, beterraba, acelga.

 

8. Liliáceas, para um prato de espargos

A esta família, constituída por 16 géneros de plantas e 635 espécies, dão o nome as Tulipas e os Lírios, os géneros mais conhecidos e muito utilizados como plantas ornamentais. Mas esta bonita família, faz-se também de plantas comestíveis como é o exemplo dos espargos.

 

9. Cucurbitáceas, para o Halloween

Nesta família de plantas existem 975 espécies repartidas por 95 a 98 géneros. São maioritariamente plantas de haste, várias vezes rastejantes, não sendo raro conterem grainhas. São anuais e, apesar de existirem em todo o mundo, são oriundas de zonas tropicais e subtropicais. Incluem-se aqui o melão, o pepino, a abóbora, a curgete.

 

 

10. Fabáceas, a família das nossas leguminosas

Com 600 géneros e 18 mil espécies, é desta família que nascem as leguminosas. Existem por todo o planeta, sendo que são geralmente herbáceas, trepadeiras, arbustivas ou arbóreas. Incluem-se aqui o feijão verde, a ervilha ou as favas.

 

11. Lamiáceas, para dar mais cheiro e sabor à comida

É a 7.ª maior família de plantas com flores (na forma de arbustos, ervas e raramente árvores), contendo 236 a 258 géneros, com 6970 a 7193 espécies. São quase sempre seres vegetais aromáticos. Incluem-se aqui a manjerona, o tomilho, a salva, o alecrim, o manjericão — novamente, perfeitas para plantar na sua horta em casa.

Got interested?

Receive news from our blog and discover all the success stories